Vida e Morte

SANTO AGOSTINHO - MUNDO DA FILOSOFIAO conceito é amplo e com muitos significados conforme onde é inserida. A palavra Vida vem do latim “vita”, que se refere à existência ou funcionamento de alguma coisa. É o nascimento de um ser ou nascimento de algo dentro desse ser que floresce a cada novo passo, a cada novo olhar, a cada nova palavra dita, a cada vontade, a cada busca de encontrar o que de melhor a vida pode lhe dar.

A vida está em tudo ao seu redor e quando se acha que ela não tem mais nada a oferecer, a mesma lhe surpreende com novos caminhos e novas vontades. É uma alegria que surge de várias maneiras, pois até das desgraças de um ser humano pode-se encontrar uma vida bem vivida e incompreendida por muitos, que acham que a vida é só realeza.

Viver, viver e viver...

Passa-se uma vida inteira tentando descobrir o que significa viver e nada mais é, do que apenas Ser tudo o que você é. Acredita-se que ela é dura e injusta às vezes, mas ela só quer lhe mostrar o quanto és bela e formosa, pois é um substantivo feminino e como uma mãe nos traz a luz e procura dar todo o carinho que um filho necessita, desde o seu nascimento até a sua morte.

A Morte é aquela que muitos temem e outros já a esperam conformados no bom sentido, também é um substantivo feminino que vem do latim “mors”, significando que quando o Ser alcança seus braços a sua vida chegou ao fim.

- Muitos dizem que encontrar a morte é descobrir realmente o que é a vida, pois “A morte não é nada, eu somente passei para o outro lado do Caminho” (Santo Agostinho).

E porque descobrir o que é a vida apenas quando a morte chegar, qual a finalidade de esperar pelas duas, pois não se vive e morre ao mesmo tempo. A morte não é um esqueleto numa capa preta e com uma foice na mão, a Morte não vem para lhe tirar a vida, mas vem para amparar-te num momento difícil aonde você irá se encontrar sozinho, afinal ela será sua única companhia.

O fim é inevitável para todos e a morte não é o fim e sim um recomeço de um caminho que você escolheu trilhar, conforme aquilo que você viveu. Seja bom ou ruim, o livre arbítrio de escolher foi seu e de mais ninguém. Alguns até dizem que a morte é cruel, impiedosa e que não deixou você viver mais um pouquinho a vida.

Tudo o que a morte lhe deu foi tempo o suficiente para você viver, e neste momento, nem ela pode intervir por você a não ser ao lhe fazer companhia, abraçar-te como uma mãe abraça um filho perdido com medo em meio à escuridão.

Já desejei a morte, assim como, já desejei tantas outras coisas, mas no fim tudo me levou de volta ao início e tive que repetir tudo de novo, de novo e de novo até que decidi mudar e ser diferente descobrindo em mim, uma pessoa muito melhor do que sou.

Por que sou vida! Mesmo caminhando ao encontro da morte.
 

 
© Produzido por Weider Tavares Martins, estudante do segundo ano de filosofia da Faculdade de Teologia e Filosofia Paulo VI.
 
PÁGINA INICIAL

ARTIGOS E TEXTOS
ANTERIOR

PRÓXIMA