HIPNOSE E A DISFUNÇÃO ERÉTIL - MUNDO DA FILOSOFIA
RETORNAR AO MUNDO DA FILOSOFIA
 
 

Hipnose e a Disfunção Erétil

 

 

HIPNOSE E A DISFUNÇÃO ERÉTIL - UNIVERSO PSI Descartado os aspectos de etiologia orgânica, que nos casos das disfunções sexuais representam a menor parcela dos casos, as disfunções sexuais masculinas, em especial a disfunção erétil, é a razão de grande sofrimento para muitos homens, desencadeando baixa auto-estima, depressão, apatia, e outras desordens psicoemocionais. Trata-se de um distúrbio que afeta indiscriminadamente homens de diferentes faixas etárias (cerca de 5% da população mundial até 40 anos).

Antes de mais nada, quero ressaltar que episódios de falha na ereção é tido pelos especialistas como algo natural, não caracterizando necessariamente uma disfunção patológica. O problema é que esses episódios quase sempre geram um desconforto e uma preocupação, que de tão exagerada, pode favorecer novos episódios, ai sim, conduzindo para um problema mais sério.

Pelo fato da sexualidade ainda ser cercada de tantos tabus, a impotência está culturalmente ligada à força do homem, sendo muitas vezes o rebaixamento da potencia representado como enfraquecimento. Ainda sob a influencia cultural e às novas exigências, cresce o apelo ao desempenho como símbolo de masculinidade. Pílulas para aumento da potencia são usadas indiscriminadamente, como recurso reforçador de desempenho para o chamado – e esperado – “bom de cama”. Em grande parte esta exigência é muito mais do homem do que da mulher, que, a despeito da crença masculina, valoriza e considera o carinho como elemento essencial do bom relacionamento.

A tensão excessiva e a preocupação com o desempenho e a avaliação do mesmo pela parceira, são as causas comumente apontadas nos casos de disfunção erétil. Relatos de casos mostram que isso não ocorre na masturbação pela evocação da imagem da pessoa desejada ou mesmo pela estimulação através de imagens eróticas. Também não acontecem nas ereções involuntárias, como a ereção noturna. Invariavelmente essas ocorrências estão associadas a imagens negativas em relação a si próprio e a parceira, por experiências vividas ou imaginadas.

A contribuição da psicoterapia com recursos de hipnose nas disfunções sexuais está justamente na construção de uma representação mais positiva da experiência sexual, reduzindo a expectativa sobre a performance e valorizando o envolvimento como um todo. Utiliza-se recursos para uma nova resposta a partir da leitura adequada e real da experiência que faz gerar tensão. Emprega-se por esse recurso a representação mental positiva como a utilização de todos os sentidos presentes na experiência sexual, reduzindo a insegurança e o medo do fracasso.

De fato sabemos que os problemas de ordem sexual em grande parte originam-se no plano mental e na crença negativa e autolimitante. A mudança desse padrão através da hipnose conduz para resposta adequada/desejável e o equilíbrio sexual, como a auto-aceitação e a adequação da realidade.

Por Paulo Madjarof Filho - CRP. 44.694-5 - Site Oficial UniversoPsi
Psicólogo Clínico e Mestre em Psicologia da Saúde com Dissertação sobre Hipnose.
Clínica com atendimento em São Paulo e em São Bernardo do Campo.
Clique aqui e envie um e-mail para maiores informações, ou ligue para (11) 3423.1340 para agendar uma entrevista.

© Texto Produzido Por Paulo Madjarof - Respeite os Direitos Autorais

 

 
Página Inicial

Anterior

Psicologia e Hipnose Próximo
 
 
 
₢ 2012 - Elaborado e Idealizado por Rosana Madjarof - Todos os Direitos Reservados - Política de Privacidade